quarta-feira, 13 de maio de 2009

ASSEMBLEIAS LEGISLTIVAS PODEM EXTINGUIR A VERBA INDENIZATÓRIA

A pressão da sociedade por mais transparência nos gastos com dinheiro público no Congresso Nacional criou uma espécie de efeito cascata nas assembleias legislativas. Após os últimos escândalos ocorridos na Câmara e no Senado, os deputados estaduais também se sentem pressionados a prestar contas do uso da verba indenizatória e já cogitam acabar com o benefício nos estados. A possibilidade de acabar com a verba indenizatória nos estados ganhou corpo na última sexta-feira (8), no 6º Encontro do Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativas, que contou com a presença de 20 representantes das 27 casas do país.
A necessidade de se rever o atual modelo foi consenso entre os presidentes dos legislativos estaduais, mas os entendimentos pararam por aí. Tanto que, apesar de o assunto ter sido discutido, a extinção da verba indenizatória não entrou no documento que encerrou o encontro, a Carta de São Paulo. A redução dos juros das dívidas dos Estados com a União, mudanças na Constituição Federal para regras sobre precatórios e revisão da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) incidente sobre combustíveis foram as principais reivindicações do texto.
Levantamento feito pela Câmara dos Deputados, com informações fornecidas pelas próprias casas legislativas estaduais, aponta que 24 delas gastam, por mês, R$ 15.764.620 com o ressarcimento de despesas de seus 935 parlamentares. Isso dá uma média de R$ 16.860 para cada deputado estadual. O valor médio gasto é superior aos R$ 15 mil que os deputados federais têm à disposição na Câmara. Não entraram na conta os estados do Piauí, do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte, que não forneceram informações sobre o benefício.

DETALHE - A Assembléia Legislaiva do Ceará aparece entre as cinco onde seus parlamentares mais gastaram verba indenizatória.

* Clique aqui para ver o valor da verba indenizatória em cada estado

4 comentários:

pamela disse...

sim, podem até extinguir a verba indenizatória." nos engana que nós gosta".a verba indenizatória ganhará outro rotulo viuuuuuuuu

Maurição disse...

Algumas despesas são mesmo indispensáveis para o exercício do mandato. O problema maior é a falta de transparência. Melhor do que extinguir é a transparência. É preciso que o eleitor saiba em que o deputado está gastando a verba do mandato. Por mim, se publicar na internet as cópias das notas fiscais, o problema estará resolvido.

Paulo disse...

Extinguir? Tudo bem.Mas,irão arranjar o que,para continuar com a mamadeira?

Anônimo disse...

o correto era extinguir os deputados e deixar a verba