sexta-feira, 1 de maio de 2009

POLÍCIA QUER BARRAR A MARCHA DA MACONHA EM FORTALEZA


Cartaz com eventos preparatórios na UFC

O Comando da Polícia Militar do Ceará marcou reunião para a manhã deste sábado, na sede da Segurança Pública, para discutir a Marcha pela Descriminalização da Maconha, que está prevista para este domingo em Fortaleza.
As autoridades policiais querem barrar a promoção como apoio da Justiça, pois consideram um desrespeito à lei e um incentivo ao consumo da droga.

O evento está marcado para as 16h29min e promete percorrer a avenida Beira Mar, saindo do aterro da Praia de Iracema. Os organizadores avisam: é proibida a participação de menores de 18 anos e também não pode usar maconha durante a marcha.

VAMOS NÓS - Você é contra ou a favor da descriminalização da maconha?

DETALHE - Em São Paulo, a 11ª Câmara de direito criminal do TJ-SP concedeu liminar para suspender a realização da Marcha da Maconha, marcada para ocorrer neste domingo (3/5) no Parque do Ibirapuera, zona sul de São Paulo. A decisão atendeu ao pedido feito pelo Ministério Público do Estado de São Paulo em mandado de segurança. O desembargador Di Rissio Barbosa afirmou que não é possível ignorar “consequência imediata de uma chamada popular com o título ‘Marcha da Maconha’”.

12 comentários:

Anônimo disse...

O FHC não vem participar?

Marcos Flávio disse...

Falta do que fazer, gente. Vão trabalhar.

Anônimo disse...

JÁ ESTÁ COMPROVADO QUE A MACONHA CAUSA DEPENDÊNCIA. AONDE ESTÁ O MINISTÉRIO PÚBLICO CEARENSE PARA IMPEDIR ESSA MOVIMENTO ILEGAL

Freud disse...

Por que álcool e cigarro podem e a maconha, que é também medicinal, não pode?

Vitória Régia disse...

Sou a favor de qualquer marcha, afinal estamos numa democracia. Adere quem quer a algo. O resto é coisa de quem se deixa levar. Quem tem cabeça, não muda.

Anônimo disse...

Se quiserem fazer marcha pró-aborto também vão impedir? Pois aborto é crime!

Kilmer Castro disse...

Cara Vitória, infelizmente a grande maioria de nossos jovens estão dentre aqueles que vc classifica "os que se deixam levar" e são os mais suscetíveis a estes apelos. Se os adultos se omitirem de seu dever de cuidado neste momento com base na filosofia confortável, omissiva e irresponsável do "tudo pode" podemos estar perdendo uma geração.

Paulo disse...

Fumar maconha,no Brasil é crime? Então,está decidido,permitir marcha por que? Aliás,uma pergunta:os famosos,alguns colunáveis,participarão do evento ou continuarão na moita,escondidos nos aptos da Beira-Mar,em meio a maconha,cocaína,ecstasy,etc?

Arnaldo Fernandes disse...

A Vitória está certíssima !

O Dirieto à livre manifestação do pensamento é um Direito Fundamental, previsto pela Constituição Federal de 1988 ! Apologia seria dizer algo do tipo: fume que é bom etc. Mas se manifestar [usuári@s e simpatizantes da causa] pacíficamente, afirmando que determinada conduta deve ser descriminalizada... NÃO É CRIME, mas exercício regular do Direito Fundamental à liberdade de pensamento e manifestação.

Vale destacar que, no Rio de Janeiro, foi deferido recentemente pedido de habeas corpus preventivo. O patrono do "writ", no caso, é o Jurista Nilo Batista (um dos maiores criminalistas do país, especialista em Segurança Pública).

AVELINO, Laércio disse...

Eu acho que a marcha da maconha, embora seja um movimento recente, ganhou -com esta nova edição- uma cara mais séria, mais digna nas suas reinvidicações e sustenta um posicionamento político melhor que nas edições anteriores. Estas qualidades se dão por inúmeros fatos, sendo apenas 1 destes expressos no cartaz convocatório. A inovação foi o seminário pela descriminalização, momento em quê foi debatido os motivos pelo qual a erva é criminalizada, demonstrando quais são os direitos fundamentais que amparam o movimento e quais os caminhos a serem trilhados. Outro detalhe que dá corpo ao sol de Fortaleza é o fato de estarem se precavendo contra quaisquer retaliações policial ou judiciais.

Embora haja discórdia interna sobre o fundamento jurídico, a Marcha da Maconha/Fortaleza entende que a luta deve ser pautada pela descriminalização. O ex presidente, FHC, declarou recentemente ser favorável a legalização. Ele como intrépido seguidor do pai do Neo-liberalismo -Milton Friedman- pensam que todas e quaisquer coisas no universo que geram demanda de consumo devem ser comercializadas. Os argumento não poderiam ser outros, senão a conversão dos gastos público com segurança/saúde em arrecadação através de impostos pagos pelas multinacionais, produtoras de desigualdades sociais.

Além disso, seguindo interpretações jurídicas ocorridas no Rio, entraremos com um pdido de habeas corpus preventivo a fim de impedir qualquer retaliação policial sem ordem jurídica. Acho que estas são as diferenças entre a marcha de 2009 e as demais. Sem desmerecer as atividades passadas, creio que devemos reconhecer a evolução dos militantes em delimitar esses marcos legais.

Desejo a todos uma boa semana e espero vê-los dia 03 de maio, domingo, para macharmos juntos em prol da DESCRIMINALIZAÇÃO da maconha.

Solon da Ágora disse...

Apologia ao crime seria se fosse a "Marcha do Estímulo ao Consumo de Maconha", houvesse consumo no evento ou não.

Como trata-se da "Marcha pela Descriminalização da Maconha" não há apologia, pois não passa de solicitação por revisão de uma lei.

O que querem proibir, então, é O DIREITO DE TER OPINIÃO FAVORÁVEL À MUDANÇA DA LEI QUE TRATA DA MACONHA. E aí, meus amigos, a democracia é morta e enterrada!

Kelsen Bravos disse...

Eliomar, onde está o erro no texto do cartaz que travescrevo aqui:

"Seminário pela discriminalização da maconha: Apologia ou liberdade de expressão?"