sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

EFEITO JARBAS - CONGRESSO VAI CRIAR FRENTE CONTRA CORRUPÇÂO

"Parlamentares de diversos partidos, liderados pelo senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), vão criar uma frente parlamentar contra a corrupção no Congresso na tentativa de combater atos ilícitos cometidos nos três Poderes. A criação da frente foi deflagrada pela entrevista de Jarbas à revista "Veja", na qual o senador afirma que a maioria dos integrantes do PMDB "quer mesmo é a corrupção". Os deputados e senadores que articulam a frente vão se reunir na próxima semana para traçar a estratégia de ação do grupo. O senador José Nery (PSOL-PA) disse que o objetivo da frente é colocar em prática ações que permitam ao Congresso investigar atos de corrupção. "A ideia é criar um movimento amplo que reúna partidos que tenham o compromisso na luta contra a corrupção. Vamos ver se conseguimos levantar situações concretas para serem investigadas. O PMDB é um ninho de corrupção? Nossa ideia é ver se a gente consegue levantar isso para termos elementos para uma ação concreta", afirmou. A expectativa dos articuladores da frente é que pelo menos 30 parlamentares, entre deputados e senadores, integrem o grupo --que não restringirá o ingresso de legendas da base aliada governista ou da oposição. "Vamos passar das ideias para a ação, para que denúncias não sejam vazias", disse Nery. Além de articular a frente, Jarbas deve fazer um duro discurso na semana que vem contra a corrupção nos Três Poderes. A ideia do senador é se tornar, no Legislativo, uma espécie de "fiscal" anticorrupção depois que decidiu expor o próprio partido na entrevista à Veja. Na entrevista à revista, Jarbas disse que boa parte do PMDB quer cargos no governo federal para "fazer negócios e ganhar comissões". Segundo o parlamentar, "a maioria dos peemedebistas se especializou nessas coisas pelas quais os governos são denunciados: manipulação de licitações, contratações dirigidas, corrupção em geral. A corrupção está impregnada em todos os partidos. Boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção". Jarbas afirmou ainda que o PMDB é um partido sem bandeiras, sem propostas, sem um norte. "É uma confederação de líderes regionais, cada um com seu interesse, sendo que mais de 90% deles praticam o clientelismo, de olho principalmente nos cargos." Sobre a eleição de José Sarney (PMDB-AP) à presidência do Senado, o senador afirmou que é um completo retrocesso. "A eleição de Sarney foi um processo tortuoso e constrangedor. Havia um candidato, Tião Viana (PT-AC), que, embora petista, estava comprometido em recuperar a imagem do Senado."

(Folha Online)

3 comentários:

Luis Arthur Silva disse...

Jarbas não resiste a uma frente contra corrupção nem no seu estado. Ele quer é aparecer para ser vice do Serra e conseguir uns votinhos a mais dos nordestinos. O jogo é claro.

Paulo disse...

Congresso vai criar frente contra a corrupção. Será o mesmo que soltar raposa no galinheiro.

A.Morais disse...

O presidente desta comissão deverá ser o Renan, O secretario o Romero, o tesoureiro, ah esse deverá ser o Jader Barbalho. Tudo sob a supervisão do Sarney e do Lula.