sábado, 28 de fevereiro de 2009

CIRO PREPARA RETORNO AO CENÁRIO PRESIDENCIAL


O parlamentar quer sair da penumbra dos últimos meses.

"Um abraço fraterno dado no sábado 14 de fevereiro, acredita o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), deve colocá-lo de volta à corrida pela sucessão do presidente Lula em 2010. Em seu apartamento, em Fortaleza, ele fez as pazes com seu irmão do meio, o governador do Ceará, Cid Gomes. Desde as eleições municipais, em outubro, os dois só se falavam para trocar insultos e acusações. Naquele dia, aniversário de 50 anos do irmão mais velho, Lúcio, Ciro conseguiu reunir outra vez uma família que a disputa eleitoral do ano passado havia fragmentado. Para ele, resolvia-se o problema que vinha lhe tirando a tranquilidade e o ânimo para a disputa política. A briga entre os irmãos o levou a ter problemas de saúde, a desinteressar-se pela rotina do Legislativo e a praticamente desaparecer do cenário nacional. Ciro preferiu deixar a política de lado para cuidar de questões pessoais, familiares ou paroquiais. Durante seu desaparecimento, foi atropelado pelos adversários. Ele promete voltar à cena nesta semana. Mas talvez seja tarde demais. "Todos os problemas de Ciro são justos e compreensíveis, mas ele precisa voltar para o jogo, ou vai ficar fora", cobra o secretário-geral do PSB, senador Renato Casagrande (ES). Ele não é o único no partido preocupado com o sumiço de Ciro. Na tarde da quarta-feira 21 de janeiro. o presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, ligou para um amigo comum do Ceará. "Você tem alguma ideia de como é que eu posso localizar o Ciro?", perguntou. Campos não conseguia falar com ele."



* Da Revista IstoÉ, leia mais aqui.

* Foto - Paulo Moska

3 comentários:

COMISSARIO DO SANTO OFICIO disse...

Eliomar, Ciro é carta fora do baralho. Ninguém trabalhou para isso. Foi ele mesmo quem tisnou seu caminho político. Ciro é político personalista, de infelidelidade política a toda prova, um egocêntrico boquirroto. Ele não tem escrúpulos quando lhe é conveniente atacar supostos ou ocasionais adversários. Veja o que fez com Ulisses e Brizola. A Ulisses alcunhou de velho gagá. A Brizola disse que era o Escadinha da política brasileira. Fez isso em ocasióes e em conjunturas que julgou ser conveniente fazê-lo, para obter dividendos políticos junto às elites paulistas e conservadoras. Quem confia em Ciro? Nenhum político confia nele. Tampouco confiam nele a direita e a esquerda. Quanto mais o centro sofisticado brasileiro. Ciro é um linguarudo que se perde quando fala, quando usa seu vocabulário limitado para atacar ou defender. Em qualquer dessas posições ele gera atritos. Não são atritos porque assume a defesa de causas coletivas, mas atritos tolos sementados por sua superficialidade veborrágica. COMISSARIO DO SANTO OFICIO.

Anônimo disse...

O Ciro já era...e já vai tarde, ok?

Roberta Branco disse...

Curso de Engraxate Tático Operacional, Eliomar, olha aí a preparação dada aos policiais... Isso a sociedade não sabe né, reúne os soldados para dar palestra de engraxar coturnos, há e em suas folgas viu...


http://www.youtube.com/watch?v=GJUqGB9KJPc