quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

OAB NACIONAL QUER APURAÇÃO DAS DENÚNCIAS FEITAS POR JARBAS CONTRA PMDB


"Tô nem aí, tô nem aí..."

"O presidente em exercício do Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Vladimir Rossi Lourenço, cobrou, nesta terça-feira, do Ministério Público e do Senado a apuração "com urgência" das denúncias feitas pelo senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). Em entrevista à revista "Veja", o parlamentar afirmou que "boa parte" do PMDB e de outros partidos é envolvido com corrupção e manipulação de licitações. "Trata-se de uma denúncia que preocupa, uma denúncia grave vinda de um homem público como o senador Jarbas Vasconcelos, que já foi governador por duas vezes em seu Estado, prefeito do Recife e deputado", afirmou Lourenço em nota. Segundo ele, "é urgente" que o Ministério Público, e a Corregedoria do Senado instaurem inquéritos e convoque o senador para que "apresente informações mais concretas sobre os fatos denunciados e para que denúncias dessa gravidade não caiam no vazio e não fiquem no terreno da generalidade, colocando sob suspeita inclusive a parte boa do Congresso e dos partidos". "Corrupção é crime, ainda que ele faça uma denúncia genérica de prática desse crime. Nós entendemos que o Ministério Público, que é o fiscal da lei, tem que se mobilizar na busca de mais informações, ouvindo inclusive o senador; assim como a Corregedoria do Senado precisa instaurar os procedimentos também para apurar a verdade. A sociedade não pode se calar", diz o presidente em exercício. Acusações À revista "Veja", Jarbas criticou o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), dizendo que ele representa o retrocesso, reagiu também contra Renan e acusou o programa Bolsa-Família do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ser eleitoreiro. Em relação ao PMDB, disse que boa parte do partido é corrupta. Ontem, em uma entrevista coletiva, Jarbas reiterou todas as informações que havia prestado à revista. Novamente reafirmou as críticas. Nesta terça-feira, o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social) saiu em defesa do governo. Segundo ele, os critérios utilizados no Bolsa-Família não têm relação político-partidária. Já o senador Pedro Simon (PMDB-RS) apoiou o colega, mas reconheceu que houve alguns equívocos, embora com acertos."

(Com Agências)

Um comentário:

Paulo disse...

O Presidente da OAB,deve estar com febre,delirando.Claro que todo cidadão de bem,deseja ver as acusações do Senador Jarbas investigadas,para se chegar ao óbvio.Mas,qual deputado ou senador irá contribuir para as investigações?Duvido muito.Muito mesmo.