sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

LIDER DO PCDOB DESTACA 25 ANOS DO MST E BATE EM COLLOR, SARNEY E FHC


O líder do PCdoB na Assembléia Legislativa, Lula Morais, ocupou a tribuna da Casa, nesta sexta-feira, para falar sobre o Movimento dos Sem-Terra (MST), que comemora 25 anos de atuação. Ele destacou o papel desse grupo "em favor da democratização do acesso a terra", lembrando ter surgido durante a ditadura militar, quando, em 1984, cerca de 80 trabalhadores rurais de 12 estados se reuniram com líderes políticos e concluíram que a ocupação era uma ferramenta legítima dos trabalhadores. Lula Morais considerou a eleição de Fernando Collor de Mello à Presidência em 1989 um retrocesso na luta pela terra e afirmou que a Reforma Agrária anunciada no Governo Sarney não saiu do papel, pois apenas 90 mil famílias foram assentadas, número correspondente a 6% do prometido.

O comunista não se esqueceu de dar uam estocada na tucanada. Disse que nos oito anos do Governo FHC, o Brasil "sofreu com o neoliberalismo do PSDB e isso gerou graves danos ao setor rural e fez crescer a pobreza e o êxodo para os grandes centros urbanos."

Fez loas à Era Lula, mas admitiu que a vitória do petista não foi suficiente para gerar mudanças significativas na estrutura fundiária, no modelo agrícola e no modelo econômico.


O MST no BRASIL


* Está em 24 estados, tem 130 mil famílias acampadas e 370 mil famílias assentadas.


(TV Assembléia)

6 comentários:

Anônimo disse...

Ué, Lula Morais falando mal de Collor, de Sarney....Que farsa. Inácio votou em Sarney, besta. Inácio votou pela não cassação de Renan, com apoio de Collor. Olha que beleza.........

Anônimo disse...

Inácio é Sarney......Inácio é Renan....Renan é Collor.... Precisa mais?

Fidel disse...

Esse deputado é muito cara de pau. Lidef dele mesmo, com gabinete e assessaores à vontade e arrotando ética.

Anônimo disse...

é um hipócrita

COMIISSARIO DO SANTO OFICIO disse...

Na era Lula o MST virou ONG e um movimento conservador e estatal. Comissario do Santo Oficio.

Anônimo disse...

Eliomar,

Comunista tem mesmo o que comemorar. 25 anos desse movimento de bandoleiros vagabundos que pratica invasões, depredação do patrimônio público e privado, comete roubo, destruição e vandalismo criminoso, e que escolheu viver na clandestinidade para garantir a impunidade tem mesmo a cara que agrada aos comunistas, petistas e esquerdistas de toda espécie. Em nome da ideologia deles, podem até matar, né? Um movimento de baderneiros bandidos subvencionado diretamente pelo governo federal, com o dinheiro do contribuinte e contra todos os interesses do país.

Um manifesto que correu a internet colhendo assinaturas de protesto resume bem o drama:

"O governo atua com permissividade e leniência ante as ilegalidades de grupos que investem contra a democracia, o estado de direito e a segurança pública. É com apoio, estímulo e financiamento público que o MST, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, pratica ações ilegais de Norte a Sul do país e achincalha o direito de propriedade previsto na Constituição sem receber sequer uma advertência dos responsáveis pela ordem pública;

É o dinheiro desviado do bolso do trabalhador honrado, que tem a cultura dos direitos e deveres, que financia as ações ilegais do MST, grupo comprometido com a intolerância, a violência e o crime.(...)"

E ver esse deputado cantando loas ao movimento-bandido e ao governo Lula, cúmplice das ilegalidades, é o fim da picada. A que ponto chegamos...

É osso.

Carol