sexta-feira, 17 de abril de 2009

FAMÍLIA DE UNIVERSITÁRIA DECIDE DOAR ÓRGÃOS. SEIS PESSOAS SERÃO BENEFICIADAS

A família de Nádia Brito (22), universitária que morreu vítima de bala perdida na noite da última terça-feira, em parada de ônibus em frente ao Campus do Itaperi, da Universidade Estadual do Ceará (Uece), decidiu autorizar doação de órgãos e tecidos. Seis pessoas serão beneficiadas com o coração, dois rins, o fígado e as duas córneas.
Nádia Brito teve morte cerebral constatada nesta sexta-feira pela manhã por equipe de neurologistas do Instrituto Doutor José Frota, onde estava internada em estado grave depois do episódio.
Ela foi vítima do disparo de um tiro durante confusão envolvendo policiais e um grupo de torcedores do Fortaleza, segundo a imprensa.

6 comentários:

Anônimo disse...

fico triste se foi a policia pois eles estão matando igual ou mais que os bandidos
falta treinamento e com isso experiência

Célio Ferreira Facó disse...

Futebol é esporte difícil, senão impossível de aprender pelos times deste lugar.

Basta ver a atuação deles em campo nos campeonatos estadual ou nacional.

Fora dos campos, as torcidas, pelo menos boa parte delas, também mostram a selvageria como vivem e
pensam.

Anônimo disse...

Mais uma vez a "GLORIOSA" PM está envolvida em crimes bárbaros, mas deixa eu dizer o que vai acontecer: o assassino vai se entregar, vai alegar legítima defesa, e que o crime foi um "acidente", vai ser processsado - detalhe - por um tribunal militar - outro detalhe "em liberdade, não vai ser preso até que se esgote o ultimo recurso (obra do nosso supremo) e quem sabe daqui a dez ou quinze anos TALVEZ seja condenado. Aí então com um doloso nas costas, pega uns cinco ou seis anos, mas graça a uma artimanha jurídica fique alguns meses em um batalhão militar e por fim é solto e nada acontece, talvez até consiga um amparo legal para não ser expulso da gloriosa. Enquanto isso, a família da jovem e a sociedade assiste a tudo sem nada poder fazer. Talvez se algum magistrado se ilumine (inclusive do supremo), e tenha a coragem de fazer o estado pagar a família da jovem, uma grande indenização algo em torno de 10 milhões pra cima, mais o salário mensal do dito "pm", que ficaria sem, além de um salário de historiador com todas as ascensões possíveis durante 80 anos talvez assim esse tipo de coisa não aconteceria, pois pensariam duas vezes antes de botar uma arma na mão de um bandido.

Paulo disse...

Belo gesto o da família da vítima,doando vida a seis pessoas que,certamente,tem a mesma vontade de viver,que possuia a falecida.Quanto ao assassino,já se prevê,por exemplos anteriores de corporativismo,o que vai acontecer.Mas,atentem para um detalhe:trata-se de um policial,com mais de 50 anos,que não saiu da condição de cabo.Pensem na situação de stress,de vida miserável desse policial.Por favor,não entendam que estou defendendo um assassino.Mas,reflitam sobre as condições,físicas e psicológicas,em que vive o cidadão.Uma jovem e seus belos sonhos que,devia ter,esvaídos no infortúnio da vida.

Anônimo disse...

ONDE ESTAVA O RONDA DO QUARTEIRÃO ???????????
O RONDA ???????????????
O R...
O....

Anônimo disse...

Eu acho um absurdo o que fizeram com esta estudante. Onde vamos parar...eu só espero que a justiça seja feita com esse maldito. e que não fique em pune
Bárbara. Guarulhos SP