terça-feira, 21 de abril de 2009

ROSA DA FONSECA - 60 ANOS DE REBELDIA


A ex-vereadora Rosa da Fonseca completará 60 anos de idade na próxima sexta-feira. Para comemorar a data, os amigos organizaram um show que reunirá mais de 30 artistas locais. O local já está definido: o bar e teatro Chico Aníiso, que fica na Avenida da Universidade, bem próximo do Teatro Universitário.
Rosa da Fonseca é militante do Movimento Crítica Radical, que combate o modo tradicional de se fazer política e defende uma sociedade mais justa.
Professora, feminista e ativista de questões sociais das mais variadas, Rosa, sem dúvida, merece festa.
O que seria de Fortaleza se Rosa não desabrochasse, vez em quando, no jardim dos poderosos?

DETALHE - Fomos alunos da professora Rosa da Fonseca na década de 80. Ela ensinava Geografia no antigo Centro Educacional Júlia Jorge (Bairro São Gerardo). Pena que Rosa só nos ensinou por três meses. O método que ela utilizava de questionar a realidade e transformar a sala de aula em forum de debates assustou os diretores da época.

15 comentários:

Anônimo disse...

Eliomar, nos outros meses deste seu ano letivo, nossa Rosa certamente estava promovendo uma greve de professores. Se aconteceu no período que a companheira Maria Luíza estava prefeita, a greve deve ter se arrastado por mais uns três anos. Mil Vivas à Crítica Radical!

Anônimo disse...

A história da resistência ao regime militar no Ceará passa por Rosa da Fonseca, pela sua luta, sua coragem seu amor por suas ideias.
Rosa é um exemplo de determinação e de coragem. A sua luta de cada dia a faz uma mulher diferente, a frente do seu tempo e, ao mesmo tempo, senhora do seu destino.
O Ceará talvez não mereça a Rosa, mas a Rosa fez uma parte da nossa história.
Parabéns Rosa. Obrigado por existir.

Laudenir Gomes disse...

Há Rosa, sem palavras pra te parabenizar.Muitos anos de vida à você lutadora.

Paulo disse...

Conheci Rosa da Fonseca,nos anos 80,quando cheguei ao Ceará.Foi mais uma convivência profissional,umas poucas vezes,conversas nos bares da vida,sempre me admirando pelo jeito desbravador,a firmeza de opiniões,além de um posicionamento político,que muitos podem não concordar,mas respeitam.São 60 anos de uma doce rebeldia.Quem a conhece,sabe do generoso coração que possue.Parabéns,Rosa da Fonseca.

Anônimo disse...

A greve é um direito constitucional.Negar esse direito é fascismo! João

Jorge Malta disse...

Parabéns Rosa, lutadora por uma causa que, ao rejeitar a indenização de anistiado, mostrou que ideário não se compra.

Anônimo disse...

Rosa da Foseca= dignidade.João

ROMILDO BARREIRA MAMEDE disse...

Rosa é uma eterna religiosa. Sente-se santa, a ponto de assumir um asseptismo de sentimento radical. Imagina-se deusa sem pecado, ou com tanto pecado que tem de discursar todos os dias como se somente assim pudesse obter o perdão divino. Narcisista ao extremo, nossa Rosa diz-se radical contra a burguesia, mas da burguesia vive seus esconderijos e suas alfombras, pois dela se financia. Tao narcisista é e tao egotista se faz, que prefere viver sozinha, como se, solitária, só ela merecesse a graça de Deus. Faz do esquerdismo retórico a couraça de proteção às suas fragilidades e, da soberba, o ataque a quem ela vislumbra como sua projetada imagem de santa sacrilégica. Saboreia-se da imagem de mártir e dela alimenta seu marketing pessoal com generosos espaços na imprensa burguesa. Na verdade, na mais dura verdade, daquela de que ninguém pode apartar-se, Rosa, nossa Rosa guerreira, é uma burguesa de quatro costados. ROMIDO BARREIRA MAMEDE, psiquiatra e comunista.

Anônimo disse...

Romildo, comunista ou stalinista? João

Deodato Ramalho disse...

Com certeza estarei para abraçar essa brava guerreira.

ericodias disse...

O maior mérito de Rosa da Fonseca é o seu indomável senso de ir além, não adianta, isso pode ser confundido de várias formas, mas não há que esperar comodismo e conformidade.

Aos grandes insatisfeitos e insubmissos da história a vida os brinda com uma rosa.

Anônimo disse...

Profa. Rosa, quando Maria Luíza fopi prefeita, foi tão perseguidora quanto seus algozes.
Instalou na Secretaria de Educação do Município um verdadeiro SNI.
Até o Prof. Hiran, com estabilidade sindical, foi demitido a mando de Rosa.
Esqueceu, ao tempo da companheira, que o trabalhador tem o direito sagrado de fazer greve.
Ainda, exercia um vigoroso patrulhamneto entre seus "seguidores", ao ponto de "não permitir" ques estes tivessem contato com quem pensa diferente: vixe, conversando com ele...
Só otário pade palmas para esta pelega... da Maria Luíza.
Rosa é um autêntico blefe.
Prof Maurício

Anônimo disse...

Parabéns Rosa, pela data e pelo belo exemplo persistente de fidelidade às causas do povo, que te reconhece e admira.

Quanto ao laudo do "comunista" Mamede, esse negócio de "santa sacrílega" pode muito bem virar samba enredo... gostei!

Um grande abraço, Rosa Vermelha.
Assis Aderaldo

Lucia Helena disse...

Toda vez que alguém diz o seu nome, eu digo internamente: “Eita mulher corajosa! Aquela é uma legítima guerreira!” Mesmo armada só com o coração e com a voz, enfrenta o que vier pela frente, sejam tratores, homens armados ou a ignorância que impera no mundo de agora. Está acostumada não só a trilhar novos caminhos, mas a andar na contra-mão, Não se amedronta de jeito nenhum, e muito menos dá ouvidos aos que dizem que ela está na direção errada. Eu, ela e mais alguns bons de coração sabemos que não está. É que o mundo anda meio às avessas, carente de pessoas assim... Coragem, força, humanidade, ética (e etc...) convivem com a delicadeza de uma Rosa mulher que é lutadora por natureza. Adimiro tanto! Deus abençoe a sua-nossa luta de cada dia, tia.
Com todo o meu amor,
Marcela Grangeiro

Anônimo disse...

Falar de Rosa da Fonsêca é estender diferentes olhares sobre a vida, é falar de sonhos, é falar de lutas, é falar de utopias, construindo o presente, projetando para o futuro. Multidões a admiram, uns a questionam, alguns divergem das suas idéias, outros a temem, todos porém a respeitam e reconhecem a sua coerência, a sua coragem, o seu destemor, a sua dedicação e perseverança na defesa dos seus ideais, a sua convicção de princípios, a sua fortaleza, a sua solidariedade nas horas difíceis, o seu incansável labor em favor dos injustiçados, das causas populares, das minorias, no combate à violência e a todo tipo de discriminação a mulheres e homens.

Com admiração, amigas de Rosa