domingo, 3 de maio de 2009

TSE TENTA BARRAR DOAÇÕES OCULTAS PARA CANDIDATOS

Com o intuito de acabar com o chamado financiamento oculto das campanhas eleitorais, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) prepara para as eleições de 2010 a exigência de que os partidos criem uma conta bancária específica para receber e repassar doações eleitorais recebidas de empresas e pessoas físicas, informa reportagem de Felipe Seligman, publicada na Folha deste domingo. Hoje é comum que empresas que não querem ver os seus nomes associados aos candidatos façam a doação indiretamente, via partido, 'embaralhando' a doação no caixa único das legendas e praticamente impossibilitando a identificação clara de quem doou para quem.
As regras, que ainda precisam passar pelo plenário da corte, estão em um projeto de resolução, obtido pela Folha, elaborado por técnicos da área jurídica e de auditoria do TSE. Além da conta específica para doações eleitorais, informa a reportagem, o TSE analisa estender aos partidos as mesmas restrições existentes aos candidatos quanto às entidades proibidas de doar.

* Matéria completa na Folha deste domingo.

Um comentário:

A.Morais disse...

Uma coisinha boa era cassar tambem os eleitos pelo PMDB que tem ações bem mais antigas e estão engavetadas, enquanto as ações que interessam ao partidos são julgadas e os mandatos entregues ao PMDB. Paraiba e Maranhão. Ações engavetadas a seis anos Santa Catarinha e Tocantins.